segunda-feira, 3 de novembro de 2014

#EuEscolhiEsperar

Quem lê o blog ou me acompanha nas redes sociais sabe que eu sou cristã e acompanhando algumas fanpages e instas eu já tinha lido sobre o movimento Eu Escolhi Esperar. Mês passado tive a oportunidade de conhecer de perto o movimento, fui pra Campinas assistir a nova temporada Amor & Sexo.


A Campanha começou oficialmente em março de 2011. Foi idealizada por Nelson Neto Junior (pastor desde 1998, trabalha com jovens e adolescentes há mais de 20 anos). Um jovem que escolheu esperar quando ainda era um adolescente de 12 anos de idade. E por ter vivenciado as lutas e implicações de uma escolha como esta, resolveu criar uma mobilização para ajudar outros jovens que assim como ele, hoje fazem a mesma escolha de se guardar sexualmente para o casamento.
Calma, estou lendo sua mente: se guardar sexualmente para o casamento em pleno 2014??????? WHAT????? Do que você está falando? Tá vivendo em 1850? Por que? Pra que?


Eu quero falar um pouco mais sobre isso (leia: princípios cristãos), mas nesse post vamos ler uma entrevista que o Pr Nelson Junior respondeu pro blog:
1. O movimento nasceu baseado em uma experiência pessoal, quando na sua adolescência, o senhor escolheu esperar. Na sociedade em que vivemos hoje, isso é motivo de vergonha para a maioria dos jovens e adolescentes, como foi passar por essa fase?
É uma situação muito comum. Com 12 anos decidi me guardar sexualmente até o casamento. Como adolescente e principalmente como homem, descobri que não era uma decisão fácil. Além dos meus hormônios aflorados precisei lidar com as pressões na escola, no trabalho, em família e com amigos. Essas situações sempre acontecem quando alguém tem alguma valor ou características que fogem ao padrão social atual. O mundo odeia, quem não é igual a todo mundo. Uma forma de amenizar o desconforto gerado pelo preconceito é sempre estar buscando formas de amadurecer sua fé em cristo. A "chacota" nada mais é do que um querendo desmerecer o outro. O mundo exige de nossa parte uma conformidade que afirme seus valores, não os valores de Deus. O mundo quer aprovação, não verdades. Faz parte da fé.
2. Em Genesis 2:24 o próprio Deus fala sobre o homem e a mulher se tornarem uma só carne, entendemos que isso acontece através da relação sexual. Se um jovem casal tem relação sexual antes do casamento e antes mesmo de conhecer ao Senhor e Sua Palavra que liberta, após conhecerem e decidirem esperar o momento certo, como fica essa ligação?
Fica nas promessas da Palavra de Deus. Em 2ª Corintios 5:17 afirma que "aquele que está em Cristo, nova criatura é" ou seja as coisas velhas já passaram, e Deus faaz uma obra nova. Além de tudo em PROVÉRBIOS 28:13 diz que aquele que confessa e deixa alcança a misericórdia. Creio que a misericórdia do Senhor é maior que qualquer pecado praticado, desde que haja arrependimento genuino e quando abandonado, com mudança de atitudes. Os vínculos de relacionamentos fora da vontade de Deus, são desfeitos pela obra redentora de Jesus. 
3. Se o jovem casal já passou por toda etapa proposta para o namoro (amizade, oração, jejum e namoro), está com a data do casamento marcada, se amam, tudo está caminhando, por que devem ainda assim esperar?
O sexo para nós não é apenas o momento máximo de intimidade entre um casal. Ou a expressão mais intima do amor a dois. Para nós o sexo é o que estabelece a aliança de casamento. O ato conjugal não está no papel do cartório, ou na cerimônia religiosa, muito menos no anel no dedo. A consumação do casamento é a relação sexual. Com isso não estou desprezando os outros elementos do casamento. O casamento no cartório tem efeito civil, onde os noivos legalizam perante a lei a decisão do casamento. Na celebração de núpcias tem efeito religioso, onde publicamente o casal busca a benção de Deus para o casamento é um ato público da sua fé. Mas é na relação sexual que se consuma que eles já legalizaram civil e religiosamente. A relação sexual é uma aliança que une duas pessoas para sempre e os torna um para sempre. O problema é que as pessoas querem desfrutar do prazer que esta aliança proporciona sem assumir os deveres e obrigações que uma aliança de casamento exige. E veem o sexo como uma fonte de prazer e não um compromisso para toda a vida. O sexo para nós é o casamento, quando se desfruta deste fora do contexto original, consideramos errado.
4. Vimos alguns casos da virgindade de meninas sendo leiloadas na internet, como você enxerga esse tipo de comportamento? Seria a necessidade adolescente de chamar a atenção a qualquer custo? (tudo tem um preço?)
O apelo sexual em nosso dia a dia é muito forte, somos expostos a isso o tempo todo e desde o mais idoso até nossas crianças. A mídia tem um discurso distorcido sobre liberdade sexual e sua mensagem é libertina e distorcida. Tudo na vida tem limites, há hora certa para todas as coisas, por exemplo, para comer e dormir, duas necessidades vitais para nossa sobrevivência. E por mais necessário que seja, isso não justifica fazer de qualquer forma. O sexo também tem limites e precisamos ensinar aos nossos filhos, crianças e jovens que o ambiente ideal para viver estas experiencias é o contexto de fidelidade, compromisso e companheirismo: o casamento. 
5. A que vocês atribuem o 'sucesso' do movimento em tão pouco tempo? 
Olha, foi uma grande surpresa. Em 4 meses já havíamos sido noticia em vários canais de noticias: Revista Época, Revista Galileu, Portal de noticias de todo Brasil, inclusive no G1. Hoje já temos mais de 730 mil seguidores no Facebook. Isso não é do homem. Isso não é resultado do nosso trabalho, isso é de Deus! Está na agenda de Deus para essa geração. Deus está escrevendo uma história na vida de milhares jovens nessa geração. Por trabalhar com jovens e adolescentes há 20 anos, sabia que haveria uma demanda, mas imaginei que seria apenas no Estado onde moro (ES). Mas não imaginava que ele se tornaria tão grandioso. Os jovens receberam muito bem a campanha e as redes sociais estão aí exatamente para embasar essa opinião. Destaco também que temos seguidores e participantes que não são evangélicos, o que mostra que a campanha não é para um determinado grupo religioso. Tornou-se a maior campanha cristã do Brasil na atualidade. Nem todo mundo que segue o "Eu Escolhi Esperar" realmente escolheu esperar para ter relações sexuais depois do casamento, mas nos acompanham por se identificar com outras questões que tratamos e orientamos, tal como ter uma amor para a vida inteira, quem não quer isso nos dias de hoje? Ficamos lisonjeados com a graça que Deus tem derramado sobre nossas vidas, expressa pelos numerosos convites, e-mails, postagens e comentários que chegam diariamente em nosso escritório.
Esse blog é dedicado a meninas, mulheres e seus dilemas. Deixe um recado pra elas...
A vida é feita de escolhas. Hoje você faz suas escolhas, amanhã suas escolhas fazem você. Vale a pena esperar aquilo que vai durar para sempre. NÃO DESISTA, Deus tem o melhor para você!




Valeu Pr. Nelson!!!!!!!
Obrigada por compartilhar sua experiência conosco e tudo que Deus tem derramado sobre a campanha. 

4 comentários:

  1. Eu escolhi esperar, hoje sou casada e muito feliz! Com certeza é fruto dessa escolha!
    Parabéns ao pastor que escolheu investir na nossa geração pra ensinar princípios tão importantes.

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar do sistema dizer que não, vale a pena esperar né Jhe... vc é a prova disso!!!! O Pr. Nelson tem sido muito usado por Deus pra falar com clareza, amor e autoridade.

      Excluir
  2. Parabéns Carol, pela atitude! Adorei o post e acho que é um assunto muito importante nos dias atuais em que tudo se é banalizado. Bjokas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Dé, banalização é uma palavra que define muito bem! Que bom que gostou!

      Excluir