sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Diário de Débora :: Loucura, Loucura, Loucura...


Oieeee, as novidades não param, Rs! Mas calma, muita calma que a gente chega lá!

Depois que minha tia e prima foram embora pra SP, a ficha caiu, mostrando que realmente estávamos sozinhos em um novo Estado. Aí bateu uma insegurançazinha: morar há mais 2.000km de distância da mamys não parecia ser uma tarefa muito fácil. 
Organizado o apartamento - eu já estava com a empregada doméstica em casa me ajudando - com o processo de transferência da faculdade andando (faltava apenas uns documentos que um amigo de Jacareí ia trazer em março) e escolhida a escola de Mavi. 
A opção, quanto aos estudos da filhota, foi feita pela distância da escola pra minha casa, valor da mensalidade e ambiente. Escolhi também colocá-la no integral bilíngue, de manhã português e a tarde inglês. Os valores dos dois períodos ficaram bem salgado, mas como Pedro ainda não ia pra escola, deu pra investir.



Depois de uns 3 meses de escola, Mavi começou a reclamar do bilíngue dizendo que estava cansada e que queria dormir à tarde (coisa que não fazia há tempos) e as professoras não deixavam. Depois de conversar com a coordenadora, resolvi então, colocá-la apenas 3 dias no integral e os outros 2 dias ela voltava pra casa na hora do almoço. 
Ela fazia natação na escola também, no horário da manhã, o que ela gostava bastante. Depois que mudei a frequência do bilíngue, ela parou de reclamar um pouco do cansaço e começou a aproveitar mais a escola.

Quanto às minhas aulas, comecei a assistir em meados de março e os meus problemas começaram em abril, quando a faculdade que eu escolhi a única que tinha próximo ao meu período - 7º semestre - pela manhã (lá eu teria 30% de desconto por ser aluna transferida e não precisaria pagar as 3 primeiras mensalidades, já pagas na instituição de origem) não cumpriu com nada do que prometeu e  então eu fiquei sem os descontos, cobraram as 3 mensalidades já pagas na outra facul e ainda tive vários problemas pra incluir disciplinas. Tentei cancelar a matrícula mas sem sucesso e acabei decidindo terminar o semestre nela mesmo e entrar nas pequenas causas pra tentar cobrar o que haviam prometido.
Não consegui nada pelas pequenas causas, por isso depois contratei uma advogada pra entrar na justiça comum. Meu processo ainda está rolando até hoje (11/2016) #justiçabrasileira

Pra ajudar a minha vida aqui em Recife, antes de terminar a experiência, a minha empregada pediu pra sair. Quase surtei! Já que ela ficava com Pedro no período da manhã, quando eu deixava Mavi na
escola e ia pra faculdade. Sorte que ela me indicou uma pessoa antes de sair e a outra já começou na semana seguinte.

Pedro não dava trabalho, sempre foi um bebê calmo e sorridente!
Continuei amamentando até uns 17 meses, quando tive que parar porque fomos viajar pra Dubai, só eu e o maridão. 

Essa aventura vale a pena eu contar no próximo post... 

Beijos, e até lá!!!




Nenhum comentário:

Postar um comentário